Carreira

Deu "tilt" no home office? Burnout e desafios do home office

Portal Carreira
Escrito por Portal Carreira em 28 de maio de 2021
7 min de leitura
Junte-se a mais de 80 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

No início tudo eram flores: quando o home office foi a alternativa mais viável para não paralisarmos nossas atividades devido à pandemia, muitos comemoraram.

Acordar mais tarde, preparar o café da manhã sem pressa, almoçar em casa.. mas nem tudo termina assim como um conto de fadas da vida moderna.

O que antes era visto como uma oportunidade maravilhosa transformou em pesadelo pra muita gente. E aí que entra o Burnout.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o burnout como a “síndrome conceitual resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso”, podendo atingir os indivíduos em diversas dimensões.

Listamos aqui 6 alertas, segundo especialistas, que podem dar indícios do Burnout:

  • Ficar muito tempo com a câmera desligada;
  • Não interagir com a equipe como antes;
  • Semblante mais triste e inexpressivo;
  • Falta de cuidado com a aparência, quando é alguém de prezava por isso;
  • Discursos e falas mais tristes;
  • Queda na produtividade.

E para a OMS, as 11 dimensões abaixo podem refletir que sua saúde mental realmente já está comprometida.

  • Exaustão física, mental e emocional que podem se estender às atividades fora do trabalho;
  • Falta de motivação e interesse inclusive por atividades que lhe davam prazer;
  • Aumento do sentimento de frustração e pensamentos pessimistas;
  • Sentimentos de exaustão ou exaustão de energia;
  • Aumento da distância mental do trabalho, ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao trabalho;
  • Eficácia profissional reduzida;
  • Cinismo – sensação de que seu trabalho é algo inútil e não contribui para alcançar os objetivos;
  • Ansiedade – preocupação excessiva com sua produção inclusive nas horas de lazer;
  • Diminuição das habilidades cognitivas (capacidade de resolução de problemas) com presença de esquecimentos e dificuldades de lembrar das coisas;
  • Aumento de conflitos nas relações interpessoais no ambiente de trabalho e fora dele;
  • Surgimento ou potencialização de hábitos não saudáveis como uso de bebidas, cigarros e outras drogas incluindo a automedicação, alimentação desregrada para mais ou para menos, sedentarismo, insônia etc.

Se você passa por isso ou sente que está próximo(a), veja estas recomendações para evitar que trabalhar em casa se torne uma maldição.

Qual será a pior parte do home office?

Passar muito tempo em frente às telas? Tentar equilibrar trabalho, lazer e a maratona de videoconferências?

Pra muitos é moleza, mas para outros é um desafio manter a saúde mental nessas horas. Nas reuniões em vídeo, por exemplo, ficar em frente à câmera passa a ser uma apresentação, como estar num palco por oito horas diárias.

Veja mais essas dicas:

Crie rituais para sua rotina

Por mais cansativo que possa ser passar um tempo no trânsito para se deslocar ao trabalho, o trajeto fazia parte de um ritual, um espaço entre a rotina de casa e a do trabalho. Além disso, as pequenas pausas durante o trabalho, como ir tomar um café ou conversar com um colega, também são rituais importantes para proteger a energia, em um breve descanso para logo se colocar no estado mental adequado ao retomar o trabalho.

Em casa, é possível recriar essas pausas e limites, por exemplo, colocando uma música, adequando a iluminação, conversando com um amigo ou dando uma volta no quarteirão em algum momento do dia. Também ajuda manter um ritual de respiração e alongamento antes de se sentar. “O que for preciso para que você possa delimitar a transição entre trabalho e casa”, diz Aarons-Mele.

Gerencie seu ritmo, lugar e espaço

Gerenciar o ritmo de trabalho é encontrar um equilíbrio entre as interações que sobrecarregam ou sugam sua energia e aquelas que a recarregam. Por exemplo, criar espaços de descanso ou de atividades energizantes entre uma reunião e outra.

Gerenciar o lugar, mesmo que sua mesa de trabalho esteja na cozinha, significa fazer com que seu canto pelo menos lembre um escritório. E administrar seu espaço diz respeito a encontrar momentos para ficar sozinho, e isso inclui passar um tempo longe de seus filhos — algo muito importante para evitar o esgotamento.

Ajude sua equipe no auto-gerenciamento

A técnica do Google para evitar o burnout de seus funcionários durante a quarentena: Gestores têm um papel extra em ajudar sua equipe a também proteger seu ritmo, lugar e espaço.

Isso implica coordenar as reuniões com vídeo. Mesmo remotamente, pessoas extrovertidas e muito falantes tendem a dominar a conversa, o que pode se tornar cansativo para os demais. Para que todos possam ser ouvidos, é importante estruturar as reuniões de modo que cada um tenha seu tempo de falar, e minimizando discussões de ideias aleatórias.

Por exemplo, é possível pedir que as pessoas escrevam suas ideias antes mesmo de apresentá-las. Dê preferência a chamadas com áudio, em vez de vídeo.

O negócio agora é se adaptar: o home office veio para ficar, é fato.

Laura Freitas
Conteúdos aprendeai.com / portalcarreira.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *