Autoconhecimento

Como criar confiança e colaboração no trabalho?

Portal Carreira
Escrito por Portal Carreira em 6 de maio de 2021
Junte-se a mais de 80 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A qualidade da conexão nos relacionamentos é o que aumenta a nossa vontade de colaborar.

Imagine trabalhar com um chefe que está sempre “microgerenciando” suas tarefas, não reconhece quando seu trabalho está bem feito, te critica o tempo todo e cria uma série de situações desconfortáveis e constrangedoras quando vocês estão diante do resto do time. 

Em um relacionamento em que não há empatia e conexão mútua, não há espaço para a confiança e menos ainda para a colaboração.

Sem confiança e colaboração, não há como ter resultados transformadores e inovadores. Não à toa, as organizações que antes lideravam motivadas pela competitividade, pela escassez e pelo medo, se tornaram retrógradas e não conseguem acompanhar o mundo em que vivemos. 

Mas, então, como podemos criar confiança e colaboração dentro das empresas?

Focando naquilo que compartilhamos: as necessidades humanas universais

Segundo a Comunicação Não Violenta, abordagem de comunicação compassiva criada pelo psicólogo Marshall Rosenberg, todos os seres humanos compartilham necessidades universais, como, por exemplo: segurança, liberdade, respeito e autonomia.

Por trás de todo sentimento, há uma necessidade. E na maioria das vezes, essa necessidade não está sendo atendida. 

Vejamos o seguinte cenário: um casal está sentado em uma mesa de jantar esperando por seu pedido. Enquanto isso, um deles mexe no celular, e a outra pessoa, incomodada com a situação, diz: “mas você não sai nunca desse celular!”. A resposta, que vem logo em seguida, é: “que droga, você só sabe implicar com tudo que eu faço.”.

Pelo olhar da Comunicação Não Violenta, ao dizer “mas você não sai nunca desse celular!”, o que aquela pessoa realmente queria comunicar era a sua necessidade de atenção. O problema não era o celular, mas sim que ela queria ser escutada e reconhecida naquela situação. 

Ao não saber expressar sua necessidade, ela opta por uma reação agressiva, percebe? E a resposta acaba sendo tudo, menos o que ela precisava para cuidar daquela necessidade.

Pois é, isso acontece toda hora. No nosso cotidiano com a família, amigos e, principalmente, no ambiente de trabalho.

Nossas respostas a diferentes cenários é determinada pela necessidade atendida ou não atendida que está presente nas situações. 

Reflita sobre a última discussão que você teve com alguém e procure identificar qual era a necessidade que você estava sentindo naquele momento e não soube comunicar. 

Vivemos comunicando nossas necessidades de maneira distorcida, dando origem a desentendimentos e conflitos que nos levam cada vez mais para longe uns dos outros.

E por que esse conceito é importante para as organizações?

Quando nossas necessidades são escutadas e atendidas dentro de uma empresa, sentimos pertencimento, reconhecimento e propósito com aquele lugar e as pessoas que fazem parte dele. Isso faz com que nossa motivação para lidar com situações desafiadoras aumente, em nome do propósito ao qual nos identificamos. 

Mas o segredo para despertar esse nível de confiança e colaboração é a construção de um ambiente aberto aos sentimentos, às necessidades e à individualidade das pessoas.

Somente por meio da compreensão da humanidade presente em uma organização é possível criar espaços propensos ao engajamento, produtividade e criatividade.

Se queremos as mesmas coisas, por que é tão difícil colaborar?

Todos temos necessidades e queremos cuidar delas, embora não tenhamos total consciência de que elas existem.

Mas… 

  1. Nem todos temos as mesmas necessidades.
  2. E nem todos usamos as mesmas estratégias para atendê-las.

Uma pessoa que está tendo dificuldade de se concentrar na hora do trabalho pode optar por escutar uma música no fone de ouvido, enquanto outra pode preferir ir para um lugar mais silencioso em que possa ficar sozinha. 

Uma pessoa que está de luto pode querer viajar e se distrair com os amigos, enquanto outra pode preferir permanecer reservada em casa refletindo sobre o ocorrido.

São muitas as respostas que temos às nossas necessidades e muitas as estratégias que utilizamos para atendê-las. Por isso, a estratégia que funciona para você talvez não funcione para o seu colega de trabalho.

Nosso repertório de estratégias depende de nossos gostos, aprendizados, experiências e cultura. É uma somatória da nossa base de crenças e das narrativas afetivas que criamos ao longo de nossas vidas.

Por isso é tão difícil colaborar. A colaboração exige que as pessoas busquem pelo entendimento do outro e adotem estratégias que nem sempre fazem sentido para elas.

EXERCÍCIO: LISTA DE NECESSIDADES

Escute a conversa de duas pessoas em conflito e identifique quais são as necessidades que estão sendo expressadas ali de forma distorcida. Pode ser o diálogo de um filme ou de uma novela, por exemplo.

Uma vez que você identificar as necessidades daquelas pessoas, tente imaginar uma outra maneira com a qual elas poderiam ter se comunicado para expressar de forma eficaz suas necessidades.

Utilize a checklist de necessidade abaixo como referência:

Nutrição física

• Ar
• Comida
• Movimento
• Exercício
• Proteção de formas de vida que ameaçam a vida (vírus, bactérias, insetos, predadores)
• Descanso
• Expressão sexual
• Abrigo
• Toque
• Água

Interdependência

• Aceitação
• Apreciação
• Proximidade
• Comunidade
• Consideração
• Contribuição para a vida
• Segurança emocional
• Empatia
• Honestidade
• Amor
• Reconforto
• Suporte
• Confiança
• Compreensão
• Calor (afetuosidade)

Integridade

• Autenticidade
• Criatividade
• Sentido
• Valor próprio
• Autonomia

Comunhão espiritual

• Beleza
• Harmonia
• Inspiração
• Ordem
• Paz

IDENTIFICANDO AS NECESSIDADES 

Vamos mais fundo? Palpite qual necessidade cada uma dessas pessoas estavam tentando cuidar quando fizeram o que fizeram:

1. Durante uma reunião, Benício interrompe a discussão e fala que gostaria que não se perdesse o foco da reunião para acabar em 50 minutos.

a) Valorização
b) Empatia
c) Eficiência

2. Durante uma conversa, Karen comenta que seu time terá uma importante reunião amanhã e que está preocupada se Rafael vai entregar os dados para apresentação nesta tarde.

a) Eficácia
b) Colaboração
c) Respeito


3. Rogério fica irritado quando descobre que nas suas férias não foram respondidos diversos e-mails de clientes. Ele considera muito importante a qualidade desse atendimento ao cliente.

a) Equilíbrio
b) Confiança
c) Compreensão


4. Valéria surpreende uma equipe de trabalho de outra área enviando um e-mail com opiniões que gostaria que fossem consideradas para tomada de decisão em um projeto.

a) Participação
b) Segurança
c) Flexibilidade


5. Fernando telefona para três dos seus pares de trabalho, no mesmo dia, para perguntar se ele pode intervir na resolução de um problema de entrega com um cliente.

a) Inclusão
b) Autonomia
c) Clareza

Respostas: 1. (C) 2. (A) 3. (B) 4. (A) 5. (A)

Confiança e colaboração: 2 habilidades para o Agora: conheça este novo curso

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *